Homepage
Historial Novas Produções Espectáculos em Repertório Escola da Máscara Festival de Máscaras e Comediantes
· "A História do Tigre"
· "Os Monstros Sagrados"
· "Portugal Naif"
· "Monstros em Cuecas"
· "As Aventuras de João Padão à Descoberta da América"
· "Surtida de Caretos"
· "A Construção"
· "Monstros III - O Regresso"
· "As Mulheres de Gil Vicente"
· "Andorinhas Ingénuas"
· "Münchhausen - As Maravilhosas Aventuras e Viagens do Barão por terra e Mares"
· "Monstros Com Sagrados"
· "A Dança do Diabo"
· "Commedia all'Improviso"
· "O Concerto"
· "Fora para dentro à volta do centro"
· "Perdido entre carta e selos"
· "Os Três Cabelos de Ouro do Diabo"
· "O Santo Jogral Francisco"
· "As Desventuras de Isabella"
· "Otário Doing em Portugal"
· "Arlequim Servidor de Dois Amos"
· "Monstros às Escuras"
· "A Commedia que se julgava que estava morta"
· "Otário Doing Again"
· "O 1º Milagre do Menino Jesus"

"O 1º Milagre do Menino Jesus", de Dario Fo

Sinopse

Na primeira parte, com " O Papa ", Dario Fo traça um retrato bem humorado dos dois últimos Papas anteriores a João Paulo II, sendo que um é apresentado como um Papa trágico, Paulo VI e o outro, João Paulo I, um Papa bem humorado. Nesta adaptação os Papas funcionam como um Ex-Libris teatral, sendo representados por duas máscaras, uma Trágica e outra Cómica.

A segunda história, é a versão Apócrifa do nascimento e da infância do menino Jesus, acompanhando a fuga da Sagrada Família para o Egipto e o 1º Milagre de um menino Jesus que aqui representa o estrangeiro, o imigrante rejeitado pelos outros meninos, que se revolta contra a opressão exercida pelo filho do Senhor da Cidade.

Duração – 70 minutos | Classificação Etária – Maiores de 12 anos

O que disse a crítica...

"...diverte (provoca o riso até às lágrimas)..."
Elisabete França - Diário de Notícias - 22/12/1993

“ Com estas histórias Filipe Crawford exibe todas as suas qualidades e cria um espectáculo que, não sendo um milagre, não pode ser perdido, sob pena de (não ) cair em tentação..."
Miguel Crespo – Correio da Manhã - 23/12/1993

"...este espectáculo (cómico-apócrifo, pacífico e subversivo, inovador mas tradicional) é, em Lisboa, o mais alegre e feliz espectáculo de Natal. Milagre raro. É pecado não ver!"
Manuel João Gomes – Público - 20/12/1993

"...um espectáculo excepcional. Duas horas de histórias prodigiosas."
Manuel João Gomes – Público - 24/12/1993

"Quando somos assim confrontados com um texto e com um actor capazes de exercer sobre nós uma sedução tão grande sem por isso deixarem de nos alertar para a realidade do mundo, é então que compreendemos que ser espectador de teatro às vezes é ser mais do que espectador de teatro."
Carlos Porto - Jornal de Letras - 04/01/1994

"Notável. Trata-se de uma das mais altas interpretações de 1993. (...) Que pena Dario Fo não assistir a este trabalho de Filipe Crawford."
Fernando Midões – Diário de Notícias - 04/01/1994

" Eis-nos perante um dos mais fascinantes e interventivos espectáculos deste ano, provando que através de meios muito simples se faz um teatro para um grande público, popular na correcta acepção do termo, tendo Crawford o direito legítimo de figurar entre os melhores actores do ano..."
Tito Lívio – Capital - 22/01/1994

Ficha Artística/Técnica

Autor - Dario Fo
Tradução e Encenação - Filipe Crawford
Máscaras – Nuno Pino Custódio
Figurino - Rosa Freitas
Fotografias – Roberto Giostra
Operação de Luz e Som – João Marques
Produção – Lara De Carvalho e Paula Fernandes
Interpretação – Filipe Crawford
Uma Produção FC Produções Teatrais

Mais informações

R. São Francisco de Borja, 22 - Tel.: 21 395 94 17/8 Fax: 21 395 94 19
Email: info@filipecrawford.com

Home Top
Equipa | Links | Contactos