Homepage
Historial Novas Produções Espectáculos em Repertório Escola da Máscara Festival de Máscaras e Comediantes
· "A História do Tigre"
· "Os Monstros Sagrados"
· "Portugal Naif"
· "Monstros em Cuecas"
· "As Aventuras de João Padão à Descoberta da América"
· "Surtida de Caretos"
· "A Construção"
· "Monstros III - O Regresso"
· "As Mulheres de Gil Vicente"
· "Andorinhas Ingénuas"
· "Münchhausen - As Maravilhosas Aventuras e Viagens do Barão por terra e Mares"
· "Monstros Com Sagrados"
· "A Dança do Diabo"
· "Commedia all'Improviso"
· "O Concerto"
· "Fora para dentro à volta do centro"
· "Perdido entre carta e selos"
· "Os Três Cabelos de Ouro do Diabo"
· "O Santo Jogral Francisco"
· "As Desventuras de Isabella"
· "Otário Doing em Portugal"
· "Arlequim Servidor de Dois Amos"
· "Monstros às Escuras"
· "A Commedia que se julgava que estava morta"
· "Otário Doing Again"
· "O 1º Milagre do Menino Jesus"

"Monstros às Escuras"

Sinopse

Os “Monstros” (Filipe Crawford e Rui Paulo) têm feito uma carreira de sucesso desde que em 1996 apresentaram o primeiro espectáculo, “Monstros Sagrados”, baseado em textos do mestre do absurdo e da comédia inteligente, Roland Dubillard. Desde então os “Monstros” nunca mais deixaram de percorrer os palcos de Portugal inteiro, apresentando nos últimos 10 anos, novas sequelas deste sucesso, reunindo novos textos adaptados de “Les Diablogues” e “Les Nouveaux Diablogues”. Nestas duas colectâneas de sketchs radiofónicos e de café-teatro, Dubillard desenha uma parelha de personagens, o UM e o Dois, que (à semelhança de outras parelhas clássicas cómicas, como Laurel e Hardy, por exemplo, ou Dupont e Dupond, do Tintin de Hergé) vivem situações diversas, onde desenvolvem diálogos absurdos e cómicos. Estas duas personagens, nas palavras de Dubillard, "não tentam ter graça, limitando-se apenas a ser inteligentes e a retratar a estupidez e o desencanto da nossa época". O humor poético e lógico dos textos de Dubillard não pretende também ter uma mensagem especial, limitando-se a falar do essencial: "o quotidiano, o tempo que passa, as preocupações do dia-a-dia..."

Nestes “Monstros às Escuras", o UM e o DOIS, começam por dialogar num patamar em “O Papa-Roscas”, fogem “Da Chuva”, comentam o “Suicídio do Jorge"”, dão uma “Tareia”, perdem-se “No Mar”, vão parar a uma “Ilha Deserta”, esperam pela “Maré Alta” e terminam com “Uma Vitória”. São ao todo oito novos sketchs, reunidos em cerca de 80 minutos de espectáculo, que farão as delícias dos fãs do humor inteligente.

Ficha Artística/Técnica

Autor - Roland Dubillard
Tradução e Encenação - Filipe Crawford
Adaptação - Filipe Crawford e Rui Paulo
Assistência de Encenação e Contra-regra - Guilherme Noronha
Espaço Cénico e Figurinos - Filipe Crawford
Música Original - Quim Tó
Desenho de Luz e Técnica - Nuno Gomes
Fotografia - Raul Cruz
Ilustração - Filipe Abranches
Spot vídeo - Miguel Banha
Interpretação - Filipe Crawford e Rui Paulo
Participação Especial - Guilherme Noronha
Agradecimentos - Catharina Didelet

Uma Produção FC Produções Teatrais

Direcção
Filipe Crawford
Gestão Administrativa e Coordenação de Produção
Paula Fernandes
Produção Executiva
Teresa Rouxinol
Design Comunicação
Carlos Francisco
Coordenação Técnica
José Manuel Marques
Operação Técnica
Nuno Gomes

Mais informações

R. São Francisco de Borja, 22 - Tel.: 21 395 94 17/8 Fax: 21 395 94 19
Email: info@filipecrawford.com

Home Top
Equipa | Links | Contactos